quinta-feira, 28 de julho de 2011

Jardim da Estrela e o dia de hoje


Hoje foi dia de visita à casa museu de D. João de Deus junto ao Jardim da Estrela, claro está que estavam todos em dia 'virados do avesso' e tivemos pano para mangas, e ainda eram 11h e já toda eu estava com os cabelos em pé.
Estavamos a fazer um piquenique no Jardim da Estrela (e que bem que se está lá. Realmente, Lisboa tem sítios fantásticos.) quando percebemos que havia uma discórdia entre uns senhores num banco de jardim perto do nosso. Olhem só sei que 5minutos depois, voltou um dos senhores com um x-acto e cortou o braço (literalmente, cortou a camisa do outro senhor e o braço.) e desatou a fugir. Fomos logo ver o senhor que estava com o braço mal tratado, chamamos a policia (que só demorou uns simpáticos 5minutos a chegar! Vá lá!) e o INEM, que por amor de Deus, demorou 45minutos a chegar. Se o senhor tivesse a morrer, bem tinha morrido ali. Eu tenho grande consideração pelo INEM e por todos os profissionais que lá trabalham, mas ver a aflição daquele senhor e o seu braço e depois a calma com que os enfermeiros chegaram, como se tivessem estado a beber café ali na esquina ao lado... chegou-me logo os calores.
Mas felizmente o senhor ficou bem, mas do outro senhor... ninguém sabe. Apesar de ser (pelo que depois disseram no jardim) frequentador assíduo dos bancos do jardim da Estrela.

Mas querem saber o porque disto tudo? Porque o senhor que levou o corte no braço, disse ao outro para se endireitar para se poder também sentar. (porque o outro estava deitado no banco)
E depois não querem que as pessoas não tenham medo de falar, ou fazer seja o que for... é logo à facada.

3 comentários:

Ana Margarida disse...

Mas será que as pessoas não têm limites? Meu deus!

Rita Super-Mulher disse...

Bem. Que cena mais macabra :S

Jasmim disse...

Bolas... isto realmente...